12 de abril de 2011

A Fome de Íbus - Albarus Andreos

Livro: A fome de Íbus: Livro do Dentes-de-Sabre.
Autor: Albarus Andreos
Editora: Giz Editorial
Ano: 2009

Sinopse:
O grande tronco preto pintado de piche foi içado com cordas e erguido no meio dos guerreiros que espetaram nele suas espadas. O feiticeiro nu dançava aos espíritos para que intercedessem favoravelmente na batalha de logo mais. A dama da primavera, que até então havia sido tratada como rainha, foi sacrificada e seu sangue regou a base do ídolo-tronco, pois era o último dia do outono. Como tantas vezes antes, a batalha foi vencida e o bárbaro de Ith decidiu que já bastava. Era hora de retornar à sua terra. Mal sabia ele que as coisas já não seriam mais como antes.

Comentários:
Logo no começo é narrada uma profecia em que alguém do povo de Tundra terminará com a Fome de Íbus. Logo depois, conhecemos a história do bárbaro Karizen, filho das terras do Norte, que abandonou seu povo quando jovem e renegou o legado de poder de sua família para poder enfrentar grandes guerras no ocidente, porém com isso ele foi renegado. Nessas batalhas ele mudou muito, viu grandes lutas e demonstrações enormes de poderes mágicos. Quando volta para casa, ele percebe que não se encaixava mais entre os seus, que não era mais só um bárbaro e descobre que ainda tem uma missão a fazer partindo de novo em busca de seu destino.

Nessa nova “caminhada” conheceremos vários personagens que influenciaram a saga de Karizen, como o jovem batedor Haskor e o feiticeiro Tellor, entre outros, que se juntam a ele durante o caminho.

A fome de Íbus explora o enredo medieval onde podemos ver várias lutas, armas, magias, homens com muita coragem, honra, determinação e poder. A narrativa é em terceira pessoa e explora bem os ambientes passados por Karizen, os cenários me lembraram da história de O Senhor do Anéis do J.R.R. Tolkien e adorei esse clima de “Terra Média”.


“Era por causa das leis de pedra, os preceitos, comuns de sua tribo que diziam que um homem velava pela descrição e introspecção, tinha uma pedra no lugar do coração, usava a língua para clamar os gritos de guerra, os olhos para observar a morte do inimigo e os ouvidos para escutar o clamor das espadas. “ pág. 12

4 comentários:

  1. Muito obrigado pela resenha, Dani. Espero que tenha gostado tanto de ler o livro quanto eu gostei de escrevê-lo. Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Sua resenha despertou a minha curiosidade. rs
    Vamos ver se arrumo um tempinho para mais uma leitura.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha. Já tinha visto a capa do livro em alguns blogs e no skoob tb, mas ainda não tinha parado para saber mais dele.

    Achei a sinopse bem dark, mas pela resenha acho que vou gostar!

    Bjs,
    Kel - It Cultura
    www.itcultura.com

    ResponderExcluir
  4. Estou na espera da continuação...
    Gostei do que foi narrado e a história parece ter um lado sombrio que gosto...rs

    Andy_Mon Petit Poison
    @MPPoison

    ResponderExcluir