31 de janeiro de 2012

A Mesa Voadora - Luis Fernando Verissimo


Livro: A Mesa Voadora
Autor: Luis Fernando Verissimo
Editora: Objetiva
Ano: 2001

Sinopse:
Luis Fernando Verissimo, autor de 'As mentiras que os homens contam' entre muitos outros, apresenta neste livro 47 crônicas sobre comida e o universo que a circunda. Descreve situações bem humoradas como um churrasco no domingo e um jantar a dois, além de tratar de temas como ressaca, vinhos e pratos variados, compartilhando com o leitor suas memórias gustativas.

Comentários:
Estava sofrendo com um “porre literário”, não conseguia evoluir as minhas leituras e, descompromissadamente, fui ver a lista de livros sugeridos do desafio literário e encontrei o título “A mesa voadora” do Luis Fernando Verissimo e decidi que seria a leitura para curar a estagnação.
Sou suspeita em falar sobre o Verrisimo, gosto dos seus livros e crônicas e adoro o seu estilo de humor, que não é aquele humor que tenta ser forçadamente engraçado que utiliza piadas e estereótipos conhecidos. O humor dele é o tipo mais indireto encontrado em um comentário sobre alguma situação, ou entre vírgulas em uma frase descompromissada, ou no próprio tema de sua escrita. Não é aquele que causa gargalhadas, mas sim o que provoca aquele meio sorriso nos lábios, as sobrancelhas se erguem e os olhos reviram.
Em A mesa voadora Luis transforma gastronomia em literatura e em suas crônicas percebemos que comer pode se tornar uma arte, um estilo de vida. O livro possui 47 crônicas que tratam de vários assuntos sobre comida, bebidas e restaurante. Elas possuem característico tom humorístico do autor e são leves. Como nem tudo são flores, não gostei de todas as histórias e algumas se tornaram até repetitivas porém isso não defini o livro que trata de vários assuntos, desde uma reflexão sobre buffets, passando por uma critica a salsinha chegando ao saudosismo das antigas ressacas e ensinando como se portar em alguns restaurantes. A leitura é rápida para momentos de descontração e risadas.

“Comer é uma forma extrema de possuir o que queremos – seja o fígado ou a coragem do inimigo, quem sabe a carne da pessoa amada. Tudo no sentido figurado, claro.”

“O come e não engorda é meu ídolo. Só não lhe peço autógrafo por inibição. Meu sonho é emagrecer e depois nunca mais engordar, por mais que tente. Quando eu diminuir, quero ser um come e não engorda.” 


2 comentários:

  1. Interessante, não tinha pensado em ler Veríssimo, mas fica para uma próxima, sempre tive curiosidade mas também medo e acabou que nunca dei a chance para ele, ou dei?
    Enfim, só me desanimou um pouco o fato de ter sido repetitivo, detesto isso, mas faz parte.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. "Não é aquele que causa gargalhadas, mas sim o que provoca aquele meio sorriso nos lábios, as sobrancelhas se erguem e os olhos reviram."

    ADOREI a definição, Dani! Agora eu tô enrolada com tudo - só uma leitura por mês do DL e olhe lá, mas vou querer ler depois sim. ^^

    ResponderExcluir