5 de abril de 2012

Numbers – Rachel Ward


Livro: Numbers – Tempo de fuga
Autor: Rachel Ward
Editora: ID
Ano: 2011

Sinopse:
Sempre que Jem conhece alguém novo, não importa quem, logo que ela olha em seus olhos, um número aparece em sua cabeça. Esse número é uma data: a data em que essa pessoa vai morrer. Sobrecarregada com tal consciência terrível, Jem evita relacionamentos. Até que ela conhece Spider, outro estranho, e ganha uma chance. Mas, enquanto eles estão esperando para embarcar no Eye Ferris Wheel, uma roda gigante, Jem percebe que todas as pessoas da fila possuem o mesmo número. A data de hoje. Terroristas vão atacar Londres. O mundo de Jem está prestes a explodir!

Comentários:
Numbers foi um livro que não me conquistou, por vários motivos, acabei esperando um pouco mais (na verdade algo diferente) da história e dos personagens.
Nesse livro conhecemos Jem, uma menina de quinze anos que, desde pequena, ao olhar para os olhos de outra pessoa conseguia ver seus números, todas as pessoas possuíam um número, porém somente quando sua mãe morreu, ela conseguiu entender que os números que ela via eram na verdade a data das mortes. Ela carregou esse fardo por muito tempo sempre sabendo quando as pessoas à sua volta iam morrer sem contar que era órfã e vivia dentro do sistema pulando de lares adotivos até que foi morar na casa de Karen. Jem vivia isolada, porém em um de seus passeios conheceu Spider, um menino que estudava com ela e os dois acabaram criando uma amizade, mas Jem sempre estava receosa pois tinha conseguido ver os números de Spider (15122009) apenas pouco tempo depois. Nesse momento Jem começava a correr contra o tempo e contra algo que sempre acreditou, os números nunca erram.
Ao ler a sinopse fiquei empolgada, mas o livro não me prendeu,  a história em si é diferente do que eu tinha imaginado, não tão focada na questão do  sobrenatural, apesar de ela ser sempre mencionada, mas devido a narrativa estar em primeira pessoa (o que particularmente não me agrada) o foco principal recai no drama de Jem e não apenas em relação aos números mas também em como sua vida é difícil, pois além de tudo ela é do subúrbio de Londres e uma peça do sistema social. A narrativa dessa maneira acabou tornando, em algumas partes, extremamente cansativo acompanhar o fluxo de pensamento de Jem e com isso os outros personagens não são tão bem explorados. E para aqueles que têm receios em relação a linguagem utilizada nos livros deixo uma pequena nota para este, alguns palavrões são utilizados durante a história. 

1 comentários:

  1. Uma pena que não tenha gostado do livro.
    Achei o enredo bem interessante, mas só lindo mesmo para ver a dinâmica, não é?

    Desejo uma páscoa com muito amor no coração e que não esqueçamos qual seu real sentido, para que possamos vivê-la durante todos os dias! E claro com chocolate porque é bom em qualquer época.
    Luz e paz!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com/

    ResponderExcluir