30 de dezembro de 2012

[Retrospectiva] Autores de 2012


Revendo os livros lidos em 2012 percebi que este foi um ano em que não descobri apenas livros muito bons, mas acima disso me encantei com os autores, com suas narrativas, suas formas de conduzirem as histórias, como criam e regem seus personagens e a forma como guiam o leitor por caminhos inesperados (resumindo se eles escrevessem receitas de bolo eu leria) e gostaria de compartilhar esses autores com vocês: 

Neil Gaiman Por insistência da minha amiga Jéssica (e colaboradora aqui do blog) decidi que iria ler algum livro desse autor e comecei com Coraline. Fui totalmente tomada pela narrativa, pelos personagens, pela história, enfim, por tudo. Neil Gaiman tem uma narrativa envolvente, sabe usar surpresas e encaminhar o leitor por caminhos inesperados na narrativa, despertando várias sensações e emoções. Após esse livro já comprei outras obras do autor e suas leituras estão mais que programadas para 2013.










Thomas Harris Eu conheci esse autor depois de ler O Silêncio dos Inocentes, foi uma obra que conseguiu me surpreender mesmo já tendo assistido ao filme inspirado neste livro. O autor criou personagens tão complexos e profundos e sua trama é tão bem desenvolvida que é difícil fechar o livro para fazer qualquer outra coisa, sem contar que ele criou um dos melhores “vilões” que eu conheço: doutor Hannibal Lecter. 


Resenha








John Boyne Mal tenho o que dizer, simplesmente me apaixonei pela simplicidade e inocência de sua narrativa. Descobri esse autor depois de ler O Menino do Pijama Listrado e toda a inocência em contraste com a carga emocional da história fez com que eu me encantasse por sua narrativa e seus personagens. 




Resenha








Ken Follett Sua obra Queda de Gigantes estava parada na minha estante por meses, ai quando decidi dar uma chance para o livro me arrependi de não ter feito isso antes. O autor tem uma capacidade de narrar fatos históricos de um jeito envolvente sem cair no modelo do que já foi dito antes. A narrativa humaniza fatos que são encarados de forma distantes, como ver as grandes potências europeias por meio dos personagens e não como um governo intocável, além de ter a capacidade de abordar vários pontos de vista diferentes sem se perder ou deixar pontas soltas. A resenha ainda não foi publicada, mas não poderia deixar de citá-lo. 



4 comentários:

  1. Ken Follett já tá na lista de autores que preciso ler, e já vou acrescentar o John Boyne também. E leia mais Gaiman, amor demais na vida! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Follet já está na fila de empréstimo e Boyne tbm se você quiser rs. Ah já programei mais leituras de Gaiman \o/

      Excluir
  2. Neil Gaiman... adoro. Espero q venha ao Brasil esse ano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh estou nessa torcida também Regiane, espero muito que ele venha para o Brasil rs. Bjssss

      Excluir