26 de junho de 2013

[Série] Fringe – Terceira Temporada





Título Original: Fringe
Temporada: 3
Ano: 2010/2011
Roteirista: J.J. Abrams
Emissora: Fox
Episódios: 22
Avaliação: 5/5







Comentários:
Cuidado, essa resenha pode (quase certamente) conter spoilers das temporadas anteriores. 
Ok, acabei de ver a terceira temporada de Fringe e mal tenho palavras para descrevê-la ou tenho todas as que não cabem aqui, ainda estou extasiada demais para poder descobrir.
Tenho que dizer que essa foi a melhor das temporadas que assisti, a complexidade da história, a atuação dos atores, os desfechos, tudo foi simplesmente muito bem elaborado e montado fazendo com que seja difícil não fazer uma maratona insana sem hora para acabar até o último episódio (só não fiz isso porquê o chefe não acharia uma falta justificável rs). 

Como na temporada anterior, o primeiro episódio se inicia exatamente do ponto em que teve o encerramento da segunda, não deixando assim com que tivesse buracos na narração ou na cadência de cenas. 
Aqui a trama ganha mais corpo, principalmente na exploração dos dois universos, já que Olivia está presa “do lado de lá” temos mais detalhes de todos os que estão do outro lado, como é a vida deles e como funciona este outro universo que foi totalmente afetado pelo que Walter fez. 

Nesta temporada poucos elementos fringe são explorados, o foco está mais na relação entre os universos e os personagens e com isso essa temporada ganha uma boa intensificação da carga emocional dos personagens, os relacionamentos entre eles são explorados ao limite criando momentos de tensão mesmo não ocorrendo um evento fringe. 
E nesta temporada ótimo trabalho dos atores só foi reconfirmado, sendo que em sua maioria eles precisam interpretar suas versões neste universo e no outro universo, mostrando o quanto eles podem ser diferentes mesmo sendo iguais e isso ficou evidente, é impossível confundir o Walter com o Walternativo ou a Olivia com a Bolivia, simplesmente as atuações foram perfeitas. E aqui quero fazer uma menção honrosa para dois autores, a primeira e a Anna Torv, que interpreta a Olivia, pois além de ter que enfrentar duas personagens em certo momento na série ela precisa mostrar mais de sua interpretação quando precisa acrescentar mais um personagem em sua lista e ficou muito bom, foi uma atuação tão boa que é possível diferenciar os três personagens. O segundo é John Noble (Walter) pois as duas versões de seu personagem possuiam uma carga emocional enorme, cheia de intensidade, desespero, raiva, rancor, amor, dúvida e certezas e ele conseguiu passar todas essas emoções. 

Simplesmente amei todos os episódios, recomendo muito. 



Veja aqui a resenha da primeira temporada
Veja aqui a resenha da segunda temporada

1 comentários:

  1. temporada perfeita! é a minha favorita pra sempre, amo o desenvolvimento da trama e as interpretações. e pensando bem, a Anna Torv praticamente interpretou 4 Olivias nessa temporada. A Olivia, a Bolivia, a Olivia achando que era a Bolivia e a Bolivia se passando pela Olivia. Sem contar a Olivia de William Bell. hahah. amo! <3

    ResponderExcluir