11 de julho de 2013

[Livro] Uma Questão de Confiança – Louise Millar

Livro: Uma questão de confiança
Titulo Original: The playdate
Autor: Louise Millar
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Avaliação: 2,5/5
Sinopse:
Em um subúrbio tranquilo de Londres, algumas mães se ajudam através de amizade, favores e fofocas. No entanto, algumas delas não parecem confiáveis e outras têm segredos obscuros. Quando Callie se mudou para seu novo bairro, pensou que seria fácil adaptar-se. Contudo, os outros pais e mães têm sido estranhamente hostis com ela e com sua filha, Rae, que também descobriu como é difícil fazer novas amizades.
Suzy, seu marido rico e seus três filhos parecem ser a única família disposta a fazer amigos, mas, recentemente, a amizade com Suzy anda tensa. Ainda mais com a atmosfera pesada que pairou sobre o bairro após a chegada da polícia e o relato de um possível suspeito morando no bairro.
O que Callie e sua pequena Rae podem esperar? Em quem confiar? E, sobretudo, como imaginar que certas atitudes rotineiras podem colocar em risco a vida de sua pequena filha? Verdades e mentiras parecem se esconder nestas pequenas casas.

Comentários:
Uma Questão de Confiança foi um livro que me deixou confusa, pois mesmo após a leitura não consegui perceber a que ele veio, qual é seu propósito. 
Ao ler a sinopse me interessei pela leitura achando que seria de suspense, algo que envolvesse um crime, desaparecimento ou sequestro, e não poderia estar mais errada. 
O livro em sua grande parte irá tratar sobre o cotidiano de mulheres da classe média, principalmente a rotina com seus filhos e funções em casa, dando enfoque aos dramas pessoais. 
O livro traz a história de três personagens, a primeira é Callie, uma mulher que devido à doença de sua filha Rae parou o trabalho e sua rotina para cuidar da criança, porém no momento da narrativa está tentando retomar as antigas atividades. A segunda é Suzy, melhor (e única) amiga de Callie na vizinhança, uma mulher que optou em se dedicar aos filhos, ao marido e à casa, fazendo disso o foco de sua vida. A última é Debs, uma mulher que tenta viver a vida, porém é atormentada por alguns problemas, fantasmas e neuroses. 
A narrativa é lenta e demora para acontecer, não há um ritmo constante durante o livro. Senti que a primeira parte da narrativa se estende muito, apegada a características que não são essenciais e na parte em que há o desenvolvimento do ponto fundamental, o tratamento desprendido é muito rápido e descuidado, fazendo com que o leitor tenha um bom conhecimento da rotina dos personagens, mas que a história e o desfecho dos mesmo esteja incompleto, com inúmeras pontas soltas. 
Por ser um drama/suspense sobre pessoas, os personagens tiveram um cuidado maior. Na situação presente a autora consegue construir muito bem o como essas mulheres são, de que forma pensam, seus medos e receios, porém é uma construção voltada apenas ao tempo em que ocorre a narrativa, pouco do passado ou o que as tornou o que são é explorado, e quando há algum tipo de flashback acaba gerando mais dúvidas do que respostas. 
O que mais me agradou neste livro foi o desfecho que a autora deu para a história e para os personagens, cheio de surpresas e reviravoltas, porém, como disse anteriormente, como as questões foram trabalhadas apenas após a metade do livro alguns personagens ficaram sem um final definido. Ela dá uma solução mas não respostas. 

2 comentários:

  1. Oi!
    Não solicitei esse livro, e não estou me sentindo laáá muito arrependida... Até agora não vi nenhuma opinião realmente FAVORÁVEL sobre ele.. =/
    Beijão!


    http://blogcabelosaovento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Também achei que o livro seria uma coisa e foi outra. " Ela dá uma solução mas não respostas", define muito bem o livro.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir