29 de maio de 2014

[Filme] X-Men: Dias de um Futuro Esquecido



Título original: X Men: Days of Future Past
Duração: 135 min.
Direção: Bryan Singer
Roteiro: Simon Kinberg, Matthew Vaughn e Jane Goldman
Distribuidora: Fox Films
Ano: 2014
Avaliação: 4/5
Sinopse: No futuro, os mutantes são caçados impiedosamente pelos Sentinelas, gigantescos robôs criados por Bolívar Trask. Os poucos sobreviventes precisam viver escondidos, caso contrário serão também mortos. Entre eles estão o professor Charles Xavier, Magneto, Tempestade, Kitty Pryde e Wolverine, que buscam um meio de evitar que os mutantes sejam aniquilados. O meio encontrado é enviar a consciência de Wolverine em uma viagem no tempo, rumo aos anos 1970. Lá ela ocupa o corpo do Wolverine da época, que procura os ainda jovens Xavier e Magneto para que, juntos, impeçam que este futuro trágico para os mutantes se torne realidade. (Fonte: Cinemark)


Comentários: 
Adoro X-men desde pequena, são meus personagens preferidos dos quadrinhos, o que me fez uma pessoa muito revoltada e irritada com as últimas adaptações deles para o cinema (exceto o First Class que realmente me agradou) então quando vi os trailers e a proposta desse novo filme que iria unir o que foi realizado na trilogia filmada anteriormente, os atores e a história de First Class e um dos arcos contemplados dos quadrinhos me armei de birra, incerteza e desconfiança e fui assistir X-Men Dias de um Futuro Esquecido. 

Eles trabalharam com duas linhas temporais, uma no futuro, após a quase dizimação dos mutantes e de vários humanos que eram a favor deles pelos sentinelas. O mundo está destruído e um pequeno grupo de mutantes tenta lutar para sobreviver, nesse grupo temos Blink (Fan Bingbing), Apache (Booboo Stewart), Colossus (Daniel Cudmore), Kitty Pride (Ellen Page), Homem de Gelo (Shawn Ashmore), Mancha Solar (Adan Canto) e Bishop (Omar Sy). Em um certo momento eles se encontram com outro grupo sobrevivente que é composto por Tempestade (Halle Berry), Wolverine (Hugh Jackman), Magneto (Ian McKellen) e Xavier (Patrick Stewart )(apesar de em momento nenhum ser explicado como ele voltou após X-Men 3...) que possuem um plano para tentar mudar o que está acontecendo com eles. 
No passado temos o núcleo que integrou o filme X-Men First Class, composto principalmente por Xavier (James McAvoy), Fera (Nicholas Hoult), Magneto (Michael Fassbender) e Mística (Jennifer Lawrence). A narrativa nessa parte se passa após dez anos do que aconteceu na ilha de Cuba. Xavier está depressivo e desistiu de todos os seus ideais contando apenas com Hank (Fera) como amigo. Magneto está preso e Mística está em uma busca pessoal. O link entre futuro e passado é feito pelo personagem de Wolverine que tenta impedir o assassinato de Trask (Peter Dinklage), criador dos sentinelas. 

Não vou comentar muito a relação do filme com o cânone dos quadrinhos por dois motivos, o primeiro é que não tenho o conhecimento necessário para fazer essa comparação, li essa história há anos atrás e não lembro de muita coisa, o segundo é que essa série de filmes fugiu tanto do que eu queria que tivessem levado dos quadrinhos que fico irritada, com isso vou encarar esse filme apenas como parte da série cinematográfica, e nessa questão ele me agradou em alguns sentidos. 
As cenas de ação mostradas no futuro foram muito boas, a interação da equipe era o que eu estava esperando desde o primeiro filme, a luta parece ser toda compassada e montada, os poderes da Blink são muito bem utilizados e tornam tudo muito mais dinâmico. Kitty Pride têm uma importância muito legal para a história toda e dá uma explicação de como eles conseguirão ligar os tempos. O mundo aparece todo devastado pelas sentinelas, que são elementos que fiquei em dúvida se realmente gostei ou não, elas possuem um visual bem diferente do que eu esperava, são mais futuristas e possuem a habilidade de se adaptar aos poderes mutantes. Apesar de não serem bem o que eu esperava elas dão o tom sombrio e com seus “dons” é um porquê razoável de como elas conseguiram matar tantos mutantes. 

Na parte do passado nem tenho muitas críticas, já tinha gostado muito desse núcleo em First Class e agora isso se confirmou. Xavier e Hank são o que restaram da escola para superdotados e a depressão de Xavier é bem trabalhada, apesar de eu esperar que ele já aparecesse paraplégico (ele toma um soro para coluna e aparece andando). O Magneto continuou bem aproveitado, aprofundando bem seus dilemas para criar o grande personagem que ele se torna depois. E a Mística é a minha felicidade nesse filme, pois agora ela se tornou o personagem que sempre conheci, eles usam muito bem seu dom e suas cenas de luta lembram bem as da trilogia anterior. Wolverine tem um grande destaque nesse filme apesar de não ser o principal, mas eu gostei de sua participação também, não achei que ficou forçada (que era um dos meus medos). 

Consigo entender que com tantos personagens seria mesmo difícil aprofundar mais em cada um e existem cenas que por menores que sejam são muito boas, como a do Mercúrio (Evan Peters) que é inesquecível (consegui até por um momento não reclamar do figurino do personagem).

Agora a parte que não me agradou, com os acontecimentos desse filme muitos dos elementos construídos antes foram anulados (não que eu fosse muito feliz com o como eles construíram esse universo) mas, para mim, é uma declaração que eles sabem que o que veio antes é ruim, é um jeito de remendar o soneto. A partir de agora os filmes que vierem não estão ligados a nada. E não gostei das últimas cenas, que também deixam as coisas sem muita explicação. 
Esse filme é melhor que a trilogia X-Men e os dois filmes do Wolverine, possui boas cenas de ação e um aproveitamento melhor de alguns personagens, mas ainda mostra falhas de roteiro e falta de explicação de alguns eventos. Agora como o futuro dessa saga é um pouco incerto vou esperar para ver o rumo que irá tomar. 
ps: há cena pós-crédito que dará uma dica do próximo filme. 


0 comentários:

Postar um comentário