24 de junho de 2014

[Filme] A Culpa é das Estrelas



Título original: The Fault In Our Stars
Duração: 126 min.
Direção: Josh Boone
Roteiro: Scott Neustadter e Michael H. Weber
Distribuidora: Fox Films
Ano: 2014
Avaliação: 5/5
Sinopse:Diagnosticada com câncer, Hazel Grace Lancaster se mantém viva graças a uma droga experimental. Após passar anos lutando com a doença, a jovem é forçada pelos pais a participar de um grupo de apoio e logo conhece Augustus Waters, um rapaz que vai mudar completamente a sua vida. (Fonte: Cinemark)

Comentários: 
A Culpa é das Estrelas foi uma das adaptações que esperei, assumo, não vou dizer ansiosamente, mas com uma curiosidade de ver os personagens, os diálogos e as frases que eu adorei nas páginas na grande tela; e tenho que dizer que amei o filme. 

O filme vai trazer exatamente a mesma história do livro e manter o mesmo ponto de vista, todo focado em Hazel, e com essa escolha narrativa pode-se manter bem toda a história do livro. 
As tomadas me agradaram muito, um dos meus medos é que ao se adaptar um drama o filme acabe sendo pedante e não foi o caso, claro que tendo como tema o câncer não há como fugir de cenas tristes e emocionantes, mas não foi esse o foco maior que o filme escolheu, mas sim o envolvimento dos dois, e como no livro tudo  foi muito suave, gradativo e inevitável. 

Outra grande e agradável surpresa para mim foram os atores, Shailene Woodley (Hezel) e Ansel Elgort (Augustus) ficaram muito bem no papel, não vou dizer que eram eles que eu imaginava enquanto lia, mas agora vejo que poderiam ser e isso ficaria perfeito, a interação entre eles era real, e eles conseguiram trazer os momentos leves e os tensos de modo natural. Na verdade todos os atores me agradaram, os pais de Hazel, Isaac, enfim todos. 

O roteiro me agradou mais ainda, meu medo das mudanças escolhidas, e necessárias, durante a adaptação era que tirassem as falas que mais me tocaram ou os momentos emocionantes, porém não principais, e eles mantiveram tudo o que me agradou, as mudanças na história foram sutis e não prejudicaram em nada o filme. 

O filme é um drama sim, não teria como ser diferente, mas acima disso é regado de lições de vida, momentos emocionantes, risadas e, por que não, humor. Não apenas um filme para jovens, mas para todos. Uma das melhores adaptações que vi. 
“Alguns infinitos são maiores que outros”

2 comentários:

  1. Oi Dani, como é bom saber que souberam transferir para o filme todas as emoções que passamos no livro.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  2. Ah sim Rose, foi uma das melhores adaptações, ficou muito boa :)

    ResponderExcluir