30 de dezembro de 2012

[Retrospectiva] Autores de 2012


Revendo os livros lidos em 2012 percebi que este foi um ano em que não descobri apenas livros muito bons, mas acima disso me encantei com os autores, com suas narrativas, suas formas de conduzirem as histórias, como criam e regem seus personagens e a forma como guiam o leitor por caminhos inesperados (resumindo se eles escrevessem receitas de bolo eu leria) e gostaria de compartilhar esses autores com vocês: 

Neil Gaiman Por insistência da minha amiga Jéssica (e colaboradora aqui do blog) decidi que iria ler algum livro desse autor e comecei com Coraline. Fui totalmente tomada pela narrativa, pelos personagens, pela história, enfim, por tudo. Neil Gaiman tem uma narrativa envolvente, sabe usar surpresas e encaminhar o leitor por caminhos inesperados na narrativa, despertando várias sensações e emoções. Após esse livro já comprei outras obras do autor e suas leituras estão mais que programadas para 2013.










Thomas Harris Eu conheci esse autor depois de ler O Silêncio dos Inocentes, foi uma obra que conseguiu me surpreender mesmo já tendo assistido ao filme inspirado neste livro. O autor criou personagens tão complexos e profundos e sua trama é tão bem desenvolvida que é difícil fechar o livro para fazer qualquer outra coisa, sem contar que ele criou um dos melhores “vilões” que eu conheço: doutor Hannibal Lecter. 


Resenha








John Boyne Mal tenho o que dizer, simplesmente me apaixonei pela simplicidade e inocência de sua narrativa. Descobri esse autor depois de ler O Menino do Pijama Listrado e toda a inocência em contraste com a carga emocional da história fez com que eu me encantasse por sua narrativa e seus personagens. 




Resenha








Ken Follett Sua obra Queda de Gigantes estava parada na minha estante por meses, ai quando decidi dar uma chance para o livro me arrependi de não ter feito isso antes. O autor tem uma capacidade de narrar fatos históricos de um jeito envolvente sem cair no modelo do que já foi dito antes. A narrativa humaniza fatos que são encarados de forma distantes, como ver as grandes potências europeias por meio dos personagens e não como um governo intocável, além de ter a capacidade de abordar vários pontos de vista diferentes sem se perder ou deixar pontas soltas. A resenha ainda não foi publicada, mas não poderia deixar de citá-lo. 



28 de dezembro de 2012

Desafio Literário 2013



Com o final do Desafio Literário 2012só posso dizer que meu saldo foi o mais positivo o possível com essa esperiência, esse foi o primeiro ano que decidi participar do desafio e fiquei muito feliz, apesar de ter tido leituras que não gostei em momento nenhum superou os livros que amei e, se não fosse pela proposta, talvez não os lesse. 
O desafio abriu meus horizontes para novos gêneros e autores e estilos e por isso participo mais uma vez dessa brincadeira com muita expectativa e empolgação. Abaixo os novos temas para 2013 e minhas escolhas: 

Janeiro - Tema Livre
Steampunk Poe, de Edgar Allan Poe. (resenha)

Fevereiro - Livros que nos façam rir 
O guia dos mochileiros da galáxia, de Douglas Adams (resenha)

Março - Animais protagonistas
A Lenda dos Guardiões: a Captura, de Kathryn Lasky (resenha)

Abril - Uma ou mais das quatro estações no título
O inverno do mundo, de Ken Follet (resenha)

Maio - Livros citados em filmes
Orgulho e preconceito, de Jane Austen (resenha)

Junho - Romance Psicológico
O morro dos ventos uivantes, Emily Bronte (resenha)

Julho - Cor ou cores no título
Branca como o leite, vermelha como o sangue, de Alessandro D'Avenia (resenha)

Agosto – Vingança
A letra escarlate, de Nathaniel Hawthorne  (resenha)


Setembro - Autores Portugueses Contemporâneos
A máquina de fazer espanhóis, de Valter Hugo Mãe (resenha)

Outubro - Histórias de superação
A culpa é das estrelas, John Green (resenha)

Novembro - Livros que foram banidos
A casa dos espíritos, de Isabel Allende (resenha)

Dezembro – Natal
A aventura do pudim de Natal, de Agatha Christie (resenha)

Fiquei muito feliz com meu primeiro ano de desafio e estou bem curiosa com algumas leituras para 2013.  Para aqueles que gostaram da proposta saibam mais no site.

26 de dezembro de 2012

Clepsidra – Camilo Pessanha


Livro: Clepsidra
Autor: Camilo Pessanha
Editora: Editora Ulisseia
Ano: 1987 (ano da minha edição)
Comentários:
Tenho que dizer que este último tema do desafio literário foi o que se mostrou mais difícil para mim. Na minha adolescência eu tinha o hábito de ler poesias (na verdade adorava), mas com a faculdade acabei me dedicando aos romances e deixando a lírica de lado e retornar a esse estilo depois de tanto tempo se mostrou mais complicado do que eu esperava, porém também retomou meu interesse por poesias e uma das minhas metas para o próximo ano e aumentar a minha leitura de versos. 
O livro escolhido para o desafio foi o Clepsidra de Camilo Pessanha, um autor simbolista português do início do século XX. 
Esse livro é dividido em duas partes, na primeira podemos encontrar os seus sonetos e na segunda parte suas poesias de métrica livre, as características predominantes dos poemas são sentimentos de perda, dor, mágoa e tristeza que são bem representados em seus versos, como podemos perceber logo no poema de abertura:
 CAMINHO
I.
Tenho sonhos cruéis; n’alma doente
Sinto um vago receio prematuro.
Vou a medo na aresta do futuro,
Embebido em saudades do presente...

Saudades desta dor que em vão procuro
Do peito afugentar bem rudemente,
Devendo, ao desmaiar sobre o poente,
Cobrir-me o coração dum véu escuro!...

Porque a dor, esta falta d’harmonia,
Toda a luz desgrenhada que alumia
As almas doidamente, o céu d’agora,

Sem ela o coração é quase nada:
Um sol onde expirasse a madrugada,
Porque é só madrugada quando chora."  p. 37

A clepsidra é um relógio de água e com essa simbologia o autor já aborda a questão da fluidez do tempo, que tudo passa e nada se fixa e com isso a solidão é uma outra característica abordada. 

“A fronte já sem rugas, distendidas 
As feições, na imortal serenidade, 
Dorme enfim sem desejo e sem saudade 
Das coisas não logradas ou perdidas.” p. 41

“Encontraste-me um dia no caminho
Em procura de quê, nem eu o sei.
— Bom dia, companheiro — te saudei,
Que a jornada é maior indo sozinho” p.38

O poeta usa de recursos linguísticos para reforçar seus temas como a repetições e o uso (quase excessivo) dos três pontos, como percebido no poema Branco e Vermelho.
De princípio tive dificuldades para me ligar às poesias, porém fui me adaptando e os versos acabaram me fazendo refletir sobre as questões tratadas. 
Os versos tem um tom depressivo e triste em muitos momentos, mas possuem uma beleza e uma reflexão profunda e tratando de temas que abalam e atormentam a muitos de uma maneira simples e quase universal. Os poemas são mais que lamurias, são constatações de verdades. 

“Fulgem as velhas almas namoradas... 
- Almas tristes, severas, resignadas, 
De guerreiros, de santos, de poetas.” p. 47 

“Das beiras dos telhados, 
Cair, quase morrer... 
Meus olhos apagados,
E cansados de ver.” p. 83 


24 de dezembro de 2012

[Campanha] Natal Literário 2012


Oi gente, estou devendo esta cobertura já faz algum tempo, e aproveitando que o vídeo já foi divulgado e que a data é propícia quero falar sobre o Natal Literário 2012. 

Como comentei no post de divulgação da campanha essa é uma iniciativa dos meus amigos Leandro Schulai (autor de O Vale dos Anjos) e Milena Cherubim (do blog Memories of the Angel) cuja proposta era incentivar e propagar a leitura. No dia 15 de dezembro (plena manhã de sábado) nos reunimos no Masp para poder distribuir os livros, que foram doados pela Avenida Paulista. 

Tenho que dizer que o primeiro fator que dificultou a ação foi a chuva (sim, não parava de chover) e o outro fator, e talvez o mais inesperado, era a resistência das pessoas em aceitarem ou entenderem  que os livros estavam realmente sendo doados e que elas não teriam que pagar por isso.

Mas superando tudo a campanha foi um sucesso, todos os livros foram distribuídos e ao final da manhã havia até um interesse das pessoas que ao invés de fugirem de nós acabaram nos procurando para perguntar sobre os livros. 

Quero agradecer a todos que participaram e incentivaram a campanha, amigos, blogueiros, doadores e editoras. 
Desejo que no ano de 2013 o Natal Literário tenha sua segunda edição e ganhe mais espaço e apoio e que aos poucos seja reconhecido, pois incentivar a leitura é como apoiar um sonho, um modo de vida. 
Assista ao vídeo do Na Mira dos Livros (coluna do blog Sobre Livros) nesse link e veja um pouco mais sobre a campanha. 

22 de dezembro de 2012

Listas Aleatórias: 10 programas para o pós-Apocalipse Maia

... e o mundo não acabou!

Eu sei, foi decepcionante! Nada de invasões alienígenas, nem desastres naturais. Nem mesmo uma chuva de asteroides para animar o solstício de verão! Já sei foi o tempo em que podíamos contar com a possibilidade de destruição em massa! Agradecemos a Goku, o Doutor, Power Rangers, os Vingadores e demais heróis. Vocês são os melhores!

Brincadeiras a parte, a lista de hoje é mais um esquenta para o que estar por vir no ano de 2013, que promete coisas bem legais:

1- Rock in Rio (13, 14, 15, 19, 20, 21 e 22 de setembro) - Ainda não saiu a programação completa do tradicional evento, mas já sabemos que contará com Iron Maiden, Metallica, Slayer, Alice in Chains, Muse, entre outros. Estou morrendo de vontade de ir só por causa de Muse, vamos ver o que mais de bom o evento nos trará! Clique aqui para a programação.

2- Livros em Pauta (19 de janeiro) - Já participei desse evento em junho deste ano e é muito legal para quem trabalha na área ou é interessado em editoração, revisão e demais vertentes do trabalho literário. Clique aqui para a programação.

3- Star Trek: Além da Escuridão - Eu adorei o reboot feito a partir da série clássica. Agradou muitos fãs hardcore e conseguiu arrebanhar novos fãs (como eu, que acabei me interessante pela série antiga).



4- Homem de Ferro 3 - O trailer do próximo filme foi tão empolgante, que estou ansiosíssima para ver o que teremos:





5- Os Miseráveis - O filme/musical estreará aqui no Brasil em 1º de Fevereiro e toda vez que vejo esse trailer me acabo em lágrimas. Super ansiosa por mais:




6- Universidade Monstros - Sou uma criança grande e estou em cólicas para ver os meus queridos de Monstros S/A, com estreia em julho:



7- O Rei Leão, o Musical - Fanáticas que somos por musicais (Eu e Dani), com certeza estaremos presentes para apreciar mais um musical bem-sucedido na Broadway e que marcou a infância de muita gente. Clique aqui para mais informações:




8- Em Chamas: Adaptação do segundo livro da trilogia "Jogos Vorazes" e que tem deixado os fãs um bocado ansiosos. Só o teaser trailer/ pôster animado já foram o bastante para me animar:




9- A terceira temporada de "Game of Thrones" - A adaptação da saga "As Crônicas de Gelo e Fogo" de George R.R. Martin é praticamente perfeita e unânime na aprovação dos fãs. E também é praticamente unanimidade que o melhor livro da série, até agora, é o "A Tormenta de Espadas" e que será retratado nessa 3ª temporada. Ansiedade é pouco para definir o estado dos fãs:




10- O Hobbit: A Desolação de Smaug - Eu sei, mal estreou o primeiro filme da trilogia que narra os eventos que antecederam O Senhor dos Anéis e já estou pensando no segundo filme. Mas convenhamos... vai ser praticamente focado no Smaug. E dragões são legais! E a única coisa que temos do filme até agora é uma imagem promocional, para nos fazer sofrer:






10 de dezembro de 2012

[Campanha] Natal Literário

Oi gente, com o fim de ano é tempo de presentear, e é isso que o blog Olhos de Ressaca, atendendo a um convite de  Leandro Schulai e a Milena, do Memories of the Angel,  em parceria com outros blogs, colaboradores, autores e editoras irá fazer.
No dia 15, na Avenida Paulista ocorrerá a campanha Natal Literário em que nós iremos distribuir livros para as pessoas com a finalidade de incentivar a leitura e esse hábito que faz bem a todos. O blog convida a quem puder participar, doando livros ou aparecendo no momento da ação. 
Vamos fechar 2012 distribuindo não apenas livros, mas sim a capacidade de ir a outros mundos, outras vidas e histórias, sensações que nós leitores conhecemos bem. 

8 de dezembro de 2012

Listas Aleatórias: 10 álbuns para ouvir na estrada

Sou uma dessas pessoas que não sabem viver sem música. Trabalhar sem ouvir nada é praticamente impensável. Sempre ando com carregador na bolsa para não deixar o meu celular com pouca bateria, porque ter que enfrentar a viagem de ida e volta ao trabalho (mais longa do que gostaria) é de causar pânico. Sem contar que evita que eu escute muita bobagem que as pessoas a-do-ram esbravejar no transporte coletivo. E tenho alguns álbuns que me são favoritos nessas situações, que me ajudam a focar e pensar - no que quer que seja. E aqui listo 10 desses álbuns favoritos:

1- Abbey Road, The Beatles - Adoro a banda com todo o meu coração, mas esse é o meu álbum favorito deles simplesmente pela genialidade do lado B e a dobradinha "Golden Slumbers/ Carry that weight".




2- Nightfall in Middle Earth, Blind Guardian - É um álbum inspirado no livro "O Silmarillion" de Tolkien. É épico e emocionante como o próprio livro.




3- III, Led Zeppelin - Eu ainda não decidi qual é o meu álbum favorito do Led, mas o "III" tem "Since I've been loving you" e "Immigrant Song", que são duas das minhas favoritas pra sempre. E o álbum todo é muito bom.




4- The Book of Secrets, Loreena McKennitt - Uma das coisas mais mágicas que vivenciei foi viajar para o nordeste de ônibus e, quando estávamos em algum lugar em Minas Gerais, vi o nascer do sol ouvindo as músicas da Loreena.




5- Strange Days, The Doors - Ouvir "People are strange" no transporte coletivo em São Paulo me parece bem adequado.




6- Dummy, Portishead - Porque um pouco do Trip-Hop não faz mal a ninguém. E é ótimo para curtir uma deprê matutina.




7- Ceremonials, Florence and the Machine - Tem alguma coisa na voz dessa mulher que acho inspiradora. E esse álbum é magnífico, principalmente por causa da música "Seven Devils".




8- Acústico MTV, Cássia Eller - Um álbum que tem as músicas da própria Cássia e covers que vão desde Edith Piaff a Beatles não tem como ser ruim.




9- Dois, Legião Urbana - Adoro a levada Punk-Rock desse álbum, sempre me dá boas ideias.




10- The Resistance, Muse - Essa banda consegue misturar rock, eletrônico e música clássica de um jeito único. E sempre fico boba e maravilhada com o modo como conseguem ser tão originais.



2 de dezembro de 2012

[Resultado da Promoção] O Inverno Chegou



E com o fim do inverno venho anunciar o ganhador de uma das grandes promoções aqui do blog, do box edição de colecionador de Guerra dos Tronos.

E o ganhador é: Viviane Lucena


Parabéns Viviane.
Obrigada a todos que participaram da promo.

30 de novembro de 2012

Cotoco - John van de Ruit


Livro: Cotoco – O Diário Perversamente Engraçado de um Garoto de 13 anos
Autor: John van de Ruit
Editora: Intrínseca
Ano: 2010

Sinopse:
África do Sul, 1990. Dois grandes eventos estão prestes a acontecer: a libertação de Nelson Mandela e, o que para o garoto John Milton é ainda mais importante, o início das aulas no internato. Cercado por pais no mínimo lunáticos, uma avó gagá e colegas de dormitório para lá de estranhos (com apelidos do tipo Lagartixa, Rambo, Rain Man e Cachorro Doido), John (que graças a suas partes íntimas pouco desenvolvidas é debochadamente apelidado de Cotoco) faz o que pode para se adaptar - e tudo indica que não será fácil. Munido apenas da própria perspicácia e de um diário, Cotoco vive uma série de situações bizarras e divertidas: de mergulhos proibidos no meio da madrugada a acirrados campeonatos de críquete, passando pela caça ao fantasma de um professor e por catastróficas férias em família. E é nas páginas de seu diário que acompanhamos o peculiar - e sobretudo engraçadíssimo - funcionamento da mente de um garoto de 13 anos ao descobrir a vida, a amizade... e a pluralidade da fauna humana.

Comentários: 

Cotoco foi um mais um livro indicação do desafio literário que acabou me ganhando aos poucos e no fim virou uma história com a qual criei um certo carinho. 
A narrativa é feita em forma de diário (como menciona no título) com divisão de dias e horas contando a vida de John (vulgo Cotoco), um garoto de 13 anos que vai para um internato, e com isso contar todas as suas aventuras e histórias nesse novo ambiente.
Tinha visto comentários falando sobre este livro que exaltavam que era muito engraçado e cativante, mas assumo que quando comecei a ler a sensação que tive foi justamente a oposta. Não sei se não estava no momento para a leitura ou esse não era o meu tipo de humor, porém o que mais me chamava a atenção nesse livro era a maldade, e em alguns momentos até mesmo crueldade, dos garotos que rodeavam Cotoco. Por estar em um internato apenas para garotos as brincadeiras, ironias e discriminações são latentes e maldosas como só a adolescência sabe ser, apesar de rir algumas vezes em muitos momentos não conseguia achar graça das situações descritas e mesmo de algumas atitudes de Cotoco e acabei lendo pensando que uma hora ia ficar engraçado. 
E foi mais ou menos do meio da história que o livro me ganhou, e não por ficar engraçado (o que realmente fica) mas pela humanização e intimidade que os personagens vão adquirindo durante a narrativa, não são apenas brincadeiras e maldades mas sim adolescentes com todos os problemas que essa fase pode ter e descrita de uma maneira leve pelo ponto de vista de um garoto de 13 anos que também está passando por isso mostrando sua confusão e seu amadurecimento. 
Outros detalhes que me ganharam foram as referências históricas (o enredo se passa na África do Sul, durante o apartheid e logo que Nelson Mandela é solto) e isso é introduzido na narrativa de forma natural. E não podia deixar de comentar as referências literárias, há várias referências de diversos livros (desde Esperando Godot até Senhor dos Anéis). 
Uma narrativa leve sobre o cotidiano de um garoto que tinha tudo para ser trivial, mas que acaba ganhando o carinho do leitor. 


25 de novembro de 2012

[Evento] III Fecon


O III Fecon é um encontro para debater as tendências do futuro baseado no que está acontecendo atualmente, e nesse encontro o tema foi o futuro da narrativa. 
Organizado pela parceria da Universidade Cruzeiro do Sul e da Editora Terracota, realizado na Biblioteca Viriato Correa, no dia 24 de novembro (sábado), e com o palestrante Bráulio Tavares, muitas perspectivas futuras foram debatidas. 
Tavares acredita que há três aspectos literários: a história, o estilo e o método, sendo que as inovações e o futuro literário se darão nesses parâmetros. Ele também afirmou que para tendências futuras é necessário expandir as fronteiras da literatura, na verdade, do o que é considerado literatura. 
A partir desse ponto, Bráulio discutiu várias tendências literárias que já começaram a demonstrar suas formas atualmente. 
A primeira já é algo muito utilizado em antologias, que é a narrativa guiada por uma limitação arbitrária para o autor desenvolver sua escrita, sendo essa limitação tanto no tema como na forma da narrativa. As antologias escolhem temas para os contos que serão inscritos, mas não há apenas os limites de temas. Porém há algumas obras em que os próprios autores se propõem um limite, um desafio, como o livro “O Castelo dos Destinos Cruzados”de Italo Calvino, em que a narrativa se deu conforme ele abria cartas de tarô e o livro “La Disparition” de Georges Perec em que ele se propôs a escrever um livro inteiro sem usar a vogal “e”, letra muito importante no francês, mostrando um desafio na forma da escrita.  
Outro exemplo foi de ideias um tanto quando “excêntricas”, para dizer o mínimo, como um autor que pegou uma edição de um jornal e mandou digitar e encadernar como um livro, defendendo que esse seria um romance. Outro encadernou seus extratos do cartão de crédito, e assim foram se seguindo os exemplos, um mais bizarro que o outro. 
Outra peculiaridade literária que foi comentada por Bráulio seria algo como uma “literatura secreta”, uma produção restrita a um grupo de conhecedores, que não visaria a comercialização. Além dessa, também haveria algo como uma “literatura aplicada à vida”, como as intervenções teatrais que ocorrem em público, alguém leria ou encenaria o trecho de um livro na rua, por exemplo. 
Também poder-se-ia trabalhar uma literatura gerada ao acaso como o projeto “n+7”, que seria algo como ter um trecho de um livro mais conhecido e a cada substantivo encontrado, abrir o dicionário e substituí-lo pelo sétimo substantivo subsequente, o que poderia gerar frases totalmente sem sentido ao algo até que genial, tudo dependeria do acaso. Nesse caso também está incluído o exemplo anterior do livro de Italo Calvino, que dependia do acaso da ordem das cartas de tarô para montar sua narrativa. 
E as últimas tendências comentadas já são bem utilizadas atualmente, a primeira é a fanfic, a arte de usar um plot de uma história já escrita para montar sua própria narrativa e a última é a alteração de obras já conhecidas, o que vêm acontecendo em livros como “Orgulho e Preconceito e Zumbis” ou “Dom Casmurro e os Discos Voadores”.
Há vários caminhos que a literatura pode tomar e como Bráulio Tavares finalizou a palestra “as possibilidade são infinitas”. 

23 de novembro de 2012

[Filme] 007 - Operação Skyfall

Título original: Skyfall
Duração: 143 minutos
Direção: Sam Mendes 
Roteiro: Neal Purvis, Robert Wade, John Logan
Distribuidora: Columbia Pictures
Ano: 2012

Comentários: 

Mesmo sendo fã da franquia 007, sou vergonhosamente (e assumidamente) ignorante em relação à grande parte do seu universo e particularidades. Contudo, mesmo não tendo assistido a todos os filmes, é inegável que 007 - Operação Skyfall é uma grande homenagem aos 50 anos da estreia do personagem no cinema.

E por onde começar?

O enredo é impecável. Nada das mirabolantes estratégias de dominação mundial. O que temos neste filme é um plot que prima pelo lado pessoal do agente secreto que é seriamente afetado.

Após o roubo de uma lista com os seus agentes secretos, o MI6 se vê diante de uma ameaça enorme que busca desestruturá-lo por dentro. James Bond é tido como morto, mas ressurge de sua "aposentadoria" ao perceber que M (a excelentíssima Judi Dench) precisa dele mais do que nunca, quando até mesmo o seu cargo como chefe do Serviço Secreto Britânico está ameaçado. O filme é uma sucessão de cenas em que novo e velho se confrontam, conforme vemos um James Bond mais amadurecido em relação aos filmes anteriores protagonizados por Daniel Craig, mas sempre trazendo algo novo para a série. Por ser um plot mais intimista, sabemos um pouco mais sobre a vida e o passado do agente secreto, o que é sempre algo ótimo de se ver.

Mas dois personagens merecem destaque. O vilão de Javier Bardem é assustador, sem mais. Por ter motivos pessoais para fazer o que faz, é interessante notar como ele é o contraponto do próprio Bond - mas sem deixar de ter aquele toque clássico de uma certa bizarrice que todo vilão enfrentado por 007 parece carregar. É uma afetação desconcertante, porque é meio difícil prever o que virá disso. E a divina Judi Dench com sua M impecável que rouba a cena sempre que aparece, dando profundidade à personagem de um modo maravilhoso. Excelente.

Houve pouco que me incomodasse no filme, e não posso dizer que fiquei bem decepcionada com a suposta Bond Girl do filme. Sévérine (Bérénice Marlohe) foi tão mal aproveitada, que no final das contas mal entendi a função dela na história além de levar Bond até o vilão. Pisquei e a personagem se foi. Pra mim, a Bond Girl do filme foi outra (não, não é a Eve interpretada por Naomi Harris). Acho meio difícil encontrar uma Bond Girl (dos filmes mais recentes) que supere a Vesper Lynd de Eva Green (Cassino Royale) no meu coração.

No geral, o filme é excelente. Fotografia maravilhosa, pensada com muito cuidado e maestria. E sempre rolava uma lagrimazinha quando surgia o tema Skyfall (Adele) durante o filme, ou quando em momentos-chave tinha-se o famoso tema do 007. Infinitamente melhor que o seu antecessor (Quantum of Solace), mas acho que ainda está quase equivalente a Cassino Royale.

Extremamente recomendado!

21 de novembro de 2012

Belo Desastre – Jamie McGuire


Livro: Belo Desastre
Autor: Jamie McGuire
Editora: Verus
Ano: 2012 

Sinopse:
Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa – e deseja – evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.

Comentários:
Quando vi comentários sobre esse livro, a indicação era que a história teria um teor erótico ou muita tensão sexual, chegando a ser comparado com 50 tons de cinza (que ainda não li, mas já já sei bem sobre o que o livro trata), porém após a leitura de Belo Desastre chego a conclusão de que a narrativa é muito mais voltada para o romance e todas as implicações emocionais(sendo que isso é explorado de uma maneira bem superficial) do que realmente uma leitura erótica. 
O livro vai contar a história de Abby uma universitária que faz (ou tenta fazer) o estilo da garota certinha que tem um segredo em seu passado do qual quer fugir e se esconder e como ela se relaciona com Travis, que ganha a vida lutando ilegalmente nos porões da faculdade, não se relaciona com ninguém e é praticante convicto do sexo casual.  A história será toda focado no relacionamento dos dois que vai passar por problemas, desentendimentos, ciúme entre outras coisas. 
O livro não me convenceu, primeiro vou deixar claro que a narrativa e a escrita da autora tem um certo ritmo que acabam por prender o leitor, o problema se dá na montagem da história, uma das questões que mais me incomodou, é que por mais que a história se passe na faculdade (o que deveria levar a acreditar em personagens mais maduros) muitas partes me lembraram as famosas situações de colegial com atitudes imaturas ou frases e relacionamentos típico dos estereótipos adolescentes. 
Outra questão para mim foram os personagens principais como um todo, não consegui acreditar totalmente em Abby, que é uma contradição durante toda a narrativa, já na sinopse ela é descrita como uma menina certinha “com a quantidade certa de cardigãs”, mas várias atitudes dela contradizem essa afirmação, com as recorrentes bebedeiras, as roupas de festa entre outras coisas. Vou deixar claro que não tenho nada contra esse tipo de personagem porém gosto que as histórias mantenham uma concordância. Travis em alguns momentos também não me agradou, já que muitas vezes suas passividade me irritava. 
O relacionamento dos dois é pautado em uma relação obsessiva-compulsiva, sendo esse o foco da trama. Porém em momentos que espera um pouco mais de detalhes ou de profundidade emocional na narrativa sinto que a autora decidiu passar rápido por essas questões, despendendo no máximo alguns parágrafos para situações complexas. 
Vou fazer uma ressalva aos personagens secundários que, em alguns momentos, salvaram a cena e deram um toque de humor ao livro. 

20 de novembro de 2012

Eventos da semana (19/11 – 25/11)


 21/11 (quarta-feira) – às 14 horas 3º Clube de Leitura Penguin-Companhia l Livro: Os enamoramentos, de Javier Marías – Mediado por Gabriel Caropreso, é recomendado ler  o livro para o encontro. Loja da Cia. das Letras - Livraria Cultura do Conjunto Nacional (Av. Paulista, 2073,  tel.: 3170-4033).

24/11 (sábado) – a partir das 13h30 - III Fecon, Encontro de Extensão para o Futuro – O encontro pretende refletir as tendência que estão por vir, tendo como convidado o escritor Bráulio Tavares, que irá tratar do Futuro das Narrativas. Biblioteca Viriato Corrêa (Rua Sena Madureira, 298 - Vila Mariana)

24/11 (sábado) – às 14 horas Encontro de fãs Fiction Day – mais um encontro que visa discutir cultura e ciência por meio da ficção científica além de comemorar o 12o aniversário do Grupo de Ficção Científica Alpha. Saraiva do Shopping Center Norte (Travessa Casalbuono,120 - Vila Guilherme, tel.: 6222-2110/2001).

24/11 (sábado) – às 15 horas – Clube do livro Virando a Página – neste encontro o objetivo é debater sobre a saga de Crepúsculo, que se encerra agora, com o lançamento de Amanhecer. Saraiva do Shopping Pátio Paulista (Rua Treze de Maio, 1.947 – Paraíso, tel.: 3289-5873).

24/11 (sábado) – às 16 horas - Scott Westerfeld no lançamento do livro Leviatã – às 16 horas o autor irá falar sobre o livro em uma conversa com o público no Cine Livraria Cultura, sala 2, com distribuição de 100 senhas e às 17h15 haverá uma sessão de autógrafos no piso térreo da Livraria Cultura, sendo permitido até três livros por pessoa. Livraria Cultura do Conjunto Nacional (Av. Paulista, 2073,  tel.: 3170-4033).

24/11 (sábado) – às 17h15 – Lançamento do livro Zumbis x Unicórnios. Livraria Cultura do Conjunto Nacional (Av. Paulista, 2073,  tel.: 3170-4033).
24/11 (sábado) – às 18 horas - Encontro de fãs para lançamento do Box Doctor Who – 1ª temporada, LogOn DVD – Em parceria com o fã site Whovians Brasil, haverá teste de conhecimento sobre a série com brindes exclusivos. Saraiva do Shopping Morumbi. (Av. Roque Petroni Jr,1.089 – Morumbi, tel.: 5181.7574 / 7901)


17 de novembro de 2012

Listas Aleatórias: 15 aberturas de desenhos da geração 90

Confesso, rolou um surto nostalgia forte aqui. Como sou ainda daquela geração que passou bastante tempo em frente à TV (quando os desenhos não eram tão bizarros ainda), às vezes dá aquela vontade danada de rever alguma coisa e tentar recuperar aquele sentimento de criança - na verdade acho que não saí da infância ainda (ha!).

Os desenhos escolhidos aqui dispensam comentários. Mal começava a rodar a abertura e já vinha toda uma gama de lembranças. Espero que gostem:


1- O fantástico mundo de Bobby




2- Doug 




3- Os Animaniacs




4- Pinky e o Cérebro




5- Duck Tales




6- Cavaleiros do Zodíaco




7- Tiny Toons




8- Thundercats




9- He-Man




10- Carmen Sandiego




11- As Aventuras de Babar




12- As Aventuras de Tintin




13- O Pequeno Urso




14- Capitão Planeta




15- Pokemon




PS: Como vários desenhos ficaram de fora, pode ser que role um "Parte II" deste post. O que acham?

11 de novembro de 2012

[Resultado da Promoção] De Volta à Magia





“Como mais um torneio entre as casa está chegando ao fim...”

Com essa sensação de expectativa que venho anunciar o ganhador de uma das promoções mais movimentadas do blog, do box da edição limitada de Harry Potter.

E o ganhador é: Erica Marts

Parabéns Erica
Obrigada a todos que participaram da promo.

3 de novembro de 2012

Listas Aleatórias: 10 Bruxas da Ficção

Halloween nessa semana e eu não poderia deixar em branco. Eu nutro uma enorme fascinação por esses seres fantásticos e tão presentes na ficção fantástica, seja na literatura, cinema, seriados e afins. Montar essa lista não foi fácil, mas divertiu um bocado.

Aqui estão algumas das bruxas mais famosas da ficção:

1- Morgana das Fadas: Retratada desde a Idade Média como uma personagem dúbia, é justamente esse lado incerto o que encanta nela. Seja como aliada ou inimiga do Rei Artur, Morgana segue os seus propósitos, custe o que custar.



2- Hermione Granger: A geração potteriana cresceu se espelhando nesta personagem, inteligente e sensível como poucas, tão próxima de uma garota normal e que se provou ser muito além de "livros e inteligência".



3- Cuca: A Cuca faz parte do folclore brasileiro como sendo uma daquelas invenções absurdas dos pais para assustar os filhos, tal como o bicho-papão. Mas a sua fama se consolidou quando foi retratada no livro "O Saci" de Monteiro Lobato, como sendo uma bruxa velha com cara de jacaré e, mais tarde, na adaptação d'O Sítio do Picapau Amarelo para a TV.


4- Circe: Faz parte da mitologia grega sendo filha de duas divindades. Mas é na Odisseia que sua presença é mais marcante, sendo inimiga, amante e depois aliada de Ulisses na sua volta ao lar. Especialista em poções em encantamentos, vivia em uma ilha cheia de feras encantadas por ela e que antes foram homens:


5- Sally Owens: Conhecida no filme "Da Magia à Sedução" (adaptação do livro "Practical Magic"), Sally faz parte de uma longa geração de bruxas amaldiçoadas por uma ancestral a nunca se apaixonarem pois, quando tal acontece, algo de ruim ocorre:



6- Medeia: Esta feiticeira também provém da mitologia grega e é conhecida por sua participação nos feitos dos Argonautas. Apaixonada por Jasão, abandona e trai a própria família por ele. E no final, quando é deixada pelo amado, envenena os próprios filhos como vingança:



7- The Weird Sisters: Conhecidas como as "Três Bruxas" em Macbeth, de William Shakespeare, são as três profetisas que preveem que Macbeth subiria ao trono e, depois, com profecias ambíguas, a sua posterior queda. Sua origem está na mitologia e pode ser associada às Moiras, as fiandeiras do destino:


8- Malévola: A rancorosa bruxa retratada pela Disney merece com louvor um lugar neste top. Por não ser convidada para o batizado da princesa Aurora, amaldiçoa a criança e faz de tudo para impedir que a maldição seja quebrada. Morria de medo dela quando era mais nova, mas um medo misturado com fascinação:



9-Rowan Mayfair: A bruxa mais poderosa do Clã Mayfair, que nos é apresentada no primeiro volume de "A Hora das Bruxas", de Anne Rice. Ela não se parece quase em nada com o arquétipo da feiticeira que estamos acostumadas a ver, mas o poder dela surpreende e assusta na mesma proporção, principalmente pelo seu relacionamento com a criatura Lasher:



10-Willow: A personagem que começou sem gracinha no seriado Buffy, a Caça-Vampiros foi crescendo em poder e importância até se tornar uma das vilãs da série.