10 de fevereiro de 2013

[Teatro] Musical – A Família Addams



A Família Addams foi um dos últimos musicais que assisti no ano passado, e era o que tinha mais receio principalmente devido às criticas negativas que a peça original norte-americana sofreu, mas para a edição brasileira o roteiro passou por alterações e essas tornaram o texto tão nacional e tão nosso que este musical foi um dos melhores que vi.
A história começa quando Wandinha se descobre apaixonada, porém para o grande desespero de seus pais ela gosta de um garoto “normal” e por isso vai tentar fazer com que a família aceite o rapaz e tente ser um pouco menos assustadora. 
A história parece não ter muito assunto para render, e assumo que quando vi as primeiras notícias sobre o musical achava que ele iria abordar um pouco mais sobre a história dessa família, que é criação do cartunista Charles Addams, porém isso não ocorre e a peça tem seu desenvolvimento sobre o envolvimento de Wandinha com seu namorado e sua família, mas com muitos toques de humor e situações inusitadas fazendo com que as quase três horas de espetáculo mal sejam percebidas. 
A cenografia foi um dos elementos que mais me encantou o cenário e os detalhes estavam perfeitos, a produção teve o cuidado de não deixar de fora quase nenhum elemento que caracteriza o desenho original, como a mãozinha e o primo Itch. 
As musicas foram muito bem construídas e montadas, as letras estavam perfeitas com as situações e foi neste ponto em que mais se pode sentir as adaptações que tinha mencionado anteriormente, como em um momento em que a Vovó está conversando com o Feioso e faz referência a música “ai se eu te pego” ou em outra cena em que é dançado o Gangnam Style. 
Os atores merecem uma observação especial, apesar de a Marisa Orth não estar presente quando fui assistir, o papel de Morticia foi muito bem interpretado por sua substituta (juro que procurei o nome, mas não achei) e os outros atores ficaram muito bem no papel mas quero destacar o Claudio Galvan e o Rogério Guedes que deram a vida a Fester e Tropeço, respectivamente, trazendo as características tão marcantes desses personagens e claro que não poderia deixar de mencionar o ator Daniel Boaventura que interpretou Gomes e foi brilhante. 
Um musical divertido e muito bem produzido. 

2 comentários:

  1. Adoro musicais, pena que já faça um tempinho que não assisto a nenhum.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir