26 de janeiro de 2016

[Livro] As espiãs do Dia D – Ken Follett


Sinopse:
Segunda Guerra Mundial. Na fúria expansionista do Terceiro Reich, a França é tomada pelas tropas de Hitler. Os alemães ignoram quando e onde, mas estão cientes de que as forças aliadas planejam libertar a Europa. Para a oficial inglesa Felicity Clairet, nunca houve tanto em jogo. Ela sabe que a capacidade de Hitler repelir um ataque depende de suas linhas de comunicação. Assim, a dias da invasão pelos Aliados, não há meta mais importante que inutilizar a maior central telefônica da Europa, alojada num palácio na cidade de Sainte-Cécile. Porém, além de altamente vigiado, esse ponto estratégico é à prova de bombardeios. Quando Felicity e o marido, um dos líderes da Resistência francesa, tentam um ataque direto, Michel é baleado e seu grupo, dizimado.
Abalada pelas baixas sofridas e com sua credibilidade posta em questão por seus superiores, a oficial recebe uma última chance. Ela tem nove dias para formar uma equipe de mulheres e entrar no palácio sob o disfarce de faxineiras. Arriscando a vida para salvar milhões de pessoas, a equipe Jackdaws tentará explodir a fortaleza e aniquilar qualquer chance de comunicação alemã – mesmo sabendo que o inimigo pode estar à sua espera. As espiãs do Dia D é um thriller de ritmo cinematográfico inspirado na vida real. Lançado originalmente como Jackdaws, traz os personagens marcantes e a narrativa detalhada de Ken Follett.  (Fonte: Skoob) 

Comentários:
Estava com saudade de ler uma história de Follett, e ler As espiãs do dia D matou essa vontade e ainda aumentou a admiração que tenho por esse autor. 

Apesar de ter comentado que estava com saudade da escrita de Follett, assumo que economizei esse livro para poder aproveitá-lo com calma, pois ele trata de dois temas que gosto muito: histórias de guerra e mulheres fortes. 

Em As espiãs do dia D iremos conhecer a história da participação de Felicity Clairet, uma oficial da Executiva de Operações Especiais britânica que trabalhava junto com a Resistência Francesa para sabotar os alemães que invadiram a França e ajudar os Aliados na invasão. 

Por outro ponto de vista também conheceremos a história de Dieter Franck, um major que trabalhava para Alemanha como especialista em interrogatórios e como ele se posiciona e age nesse lado da guerra. 

Temos nesse livro a típica narrativa de Follett que irá intercalar os pontos de vista entre Felicity e Dieter e nesse caso deu um toque todo diferente ao livro, pois temos a ideia fixa de que os alemães são os únicos errados e maus de todos os acontecimentos, mas com esse estilo de narrativa Follett vai colocar a história em perspectiva e fazer o leitor pensar, pois na verdade ambos os personagens estão em uma guerra fazendo algo que não concordam mas que são obrigados a fazer por sobrevivência, na verdade o que quero dizer é, sim a Alemanha estava errada, mas quantas perdas são necessárias para que o outro lado ainda seja considerado certo? 

A história da narrativa terá uma sequência temporal curta, menos de um mês no decorrer dos fatos, mas isso não prejudica em nada o livro, pois foram os instantes finais antes do Dia D e muita coisa acontecia em um ritmo frenético e quanto mais perto da data tão conhecida, mas a narrativa fica tensa e rápida, e isso trabalha muito bem com a história. 

Como forma de conseguir sabotar uma central telefônica Felicity monta uma equipe de mulheres para tentar realizar a missão e esse é outro diferencial do livro, pois nas guerras geralmente o trabalho das mulheres é desmerecido ou esquecido e aqui ele vai mostrar o como elas foram importantes e fortes. 

O único ponto que tenho como ressalva é que acho que deveria “ter mais livro”, calma que eu explico: Já li alguns livros do Follett e percebi que as narrativas longas dele são as melhor trabalhadas. As espiãs do Dia D não é um livro ruim ou incompleto em momento nenhum, como disse antes o tempo da narrativa apesar de curto cabe bem a obra, mas sinto que se ele tivesse escrito um pouco mais poderia ter desenvolvido melhor os personagens apresentados, trabalhando outras minúcias ou trazendo mais a frente da lente algum personagem secundário interessante, mas como disse antes isso não prejudica a obra. 

Adorei o livro, ele me prendeu e me apresentou uma das personagens que mais gostei, além de ser um bom livro para conhecer o Follett se não quiser se aventurar de início pelos calhamaços.




Título Original: Jackdaws
Autor: Ken Follett
Editora: Arqueiro
Ano: 2015
Número de páginas: 448
Avaliação: 4/5 

2 comentários:

  1. Oi, Dani.
    Tenho muita vontade de ler os livros desse autor, mas a falta de tempo não me permite. É uma pena!!!
    beijos
    Camis - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camis, olha leia sim, Follett já mora na minha lista de favoritos rs. Bjsss

      Excluir