27 de abril de 2016

[Filme] A Onda



Sinopse: 
Em uma escola da Alemanha, alunos tem de escolher entre duas disciplinas eletivas, uma sobre anarquia e a outra sobre autocracia. O professor Rainer Wenger (Jürgen Vogel) é colocado para dar aulas sobre autocracia, mesmo sendo contra sua vontade. Após alguns minutos da primeira aula, ele decide, para exemplificar melhor aos alunos, formar um governo fascista dentro da sala de aula. Eles dão o nome de "A Onda" ao movimento, e escolhem um uniforme e até mesmo uma saudação. Só que o professor acaba perdendo o controle da situação, e os alunos começam a propagar "A Onda" pela cidade, tornando o projeto da escola um movimento real. Quando as coisas começam a ficar sérias e fanáticas demais, Wenger tenta acabar com "A Onda", mas aí já é tarde demais.

Comentários:
A Onda era um filme que eu queria assistir faz muito tempo, mas nunca rolou, considerando que ele está no Netflix e que acho a situação atual do país bem propícia para esse tipo de reflexão, finalmente tirei o desejo do armário e fui assistir a esse filme que me deu muito o que pensar. 

Tendo como enredo um professor colegial na Alemanha que acaba tendo que ensinar para seus alunos sobre a autocracia (resumindo, um regime em que uma posição governante lidera massas retendo o poder absoluto em todos os níveis de Estado). Para essa matéria ele decide que a melhor maneira de explicar isso para seus alunos e mostrar, na prática, como se fundamenta um regime fascista na própria sala de aula, sendo ele o líder e criando um grupo com  os alunos que chega ao ponto de ter seu próprio uniforme, espaço, saudação. Porém o andamento do grupo acaba saindo de seu controle e indo para fora da sala, afetando vários estudantes e mostrando como esse tipo de pensamento se instala e germina na concepção das pessoas. 


Esse filme traz várias reflexões, primeiro que ele explora todas as bases desse tipo de regime, como ele nasce, baseado em insatisfações sociais e como ele se dissemina, baseado na política do grupo e da união, e a reflexão está em toda a parte nesses conceitos, afinal os alunos realmente demonstram melhoras com essa política, ficam mais unidos, ignoram suas diferenças em busca da melhora do grupo, porém são levados a acabarem com sua individualidade em vários níveis e por oprimir o outro com pensamento contrário. 

Vemos também na figura dos adolescentes como surgem os extremistas, e como até o não esperado acaba por se envolver nesses ideais, como uma voz de poder pode levar um grande grupo a realizar muitas coisas. 


As cenas finais são desconstruções e um “olhar para dentro do abismo”, o filme traz vários momentos de impactos em que até quem está assistindo pode perceber o rumo das situações e a grande semelhança com movimentos históricos que foram baseados nesse mesmo princípio (como o nazismo e o fascismo). 

E antes que surja um pensamento de que esse filme possa ter exagerado e que na verdade as pessoas hoje já são muito esclarecidas contra esse tipo de manipulação, saiba que ele foi baseado em fatos reais, com um professor norte-americano que foi demonstrar para seus alunos que não conseguiam entender como o regime nazista se instaurou na Alemanha. 


Um filme que recomendo para aqueles que gostam de pensar sobre essas questões políticas ou para quem tem uma curiosidade sobre o assunto, na verdade um filme que recomendo no geral.


Título original: Die Welle
Duração: 108 min.
Direção: Dennis Gansel
Roteiro: Dennis Gansel
Elenco: Jürgen Vogel, Frederick Lau, Max Riemelt etc. 
Ano: 2009
Avaliação: 4/5

1 comentários:

  1. Acho que foi o melhor filme que vi esse ano. Ainda tô meio chocada com ele e recomendando pra todo mundo! Obrigada por recomendar, Danizinha. <3

    ResponderExcluir