15 de fevereiro de 2015

[Maratona Oscar 2015] O Jogo da Imitação


Sinopse:
Durante a Segunda Guerra Mundial, o governo britânico monta uma equipe que tem por objetivo quebrar o Enigma, o famoso código que os alemães usam para enviar mensagens aos submarinos. Um de seus integrantes é Alan Turing (Benedict Cumberbatch), um matemático de 27 anos estritamente lógico e focado no trabalho, que tem problemas de relacionamento com praticamente todos à sua volta. Não demora muito para que Turing, apesar de sua intransigência, lidere a equipe. Seu grande projeto é construir uma máquina que permita analisar todas as possibilidades de codificação do Enigma em apenas 18 horas, de forma que os ingleses conheçam as ordens enviadas antes que elas sejam executadas. Entretanto, para que o projeto dê certo, Turing terá que aprender a trabalhar em equipe e tem Joan Clarke (Keira Knightley) sua grande incentivadora.  (Fonte: Adorocinema) 

Comentários:
Não vou negar que ao iniciar essa Maratona já tinha alguns filmes que eu estava mais empolgada em assistir do que outros, e o Jogo da Imitação com certeza era um deles, primeiro pelo Benedict Cumberbatch, um ator que gosto muito, e também pela história, outra visão sobre a guerra, e fiquei muito feliz ao perceber que nenhuma das minhas expectativas foi em vão e o filme me agradou como um todo. 





A história já começa no período de tensão na Europa com os avanços de Hitler, e é nesse cenário que Alan Turing, um matemático brilhante entra para um programa que visa decifrar o complexo código de criptografia alemã feito pela máquina Enigma. Com isso vemos toda a trajetória dele neste período, a interação com os outros do grupo, a luta para construir a máquina que ele acredita ser a chave para decifrar os enigmas, e como o trabalho de espionagem e códigos pode alterar o rumo de um combate. 

Essa última questão foi a que mais me agradou em toda a história, uma nova visão sobre aqueles que fazem diferença em uma guerra, já tinha visto filmes sobre combatentes, jogadas políticas e espiões infiltrados que decidiram rumos de guerra, mas essa foi a primeira vez que vi como um grupo de estudiosos que lutam em outros campos, que travam guerras intelectuais, que ficam atrás de mesas e que assim como todos os outros também mudam os rumos de uma guerra. 

Outra parte chave desse filme é o personagem principal, um gênio da matemática, com dificuldades em interações sociais ele é a grande chave da emoção do filme, sabe que seu trabalho irá ajudar a ganhar a guerra, mas mantém-se distante e pouco empático do fator humano da mesma. Além de suas dificuldades ele ainda tem um fator agravante, ser um homossexual em um período em que isso era terminantemente condenável. Adorei Benedict Cumberbatch neste papel apesar de ter apenas uma resalva, que é em relação ao comportamento de Alan como gênio já ser lugar conhecido para atuação de Benedict sendo que muitos dos trejeitos podem ser encontrados em seu papel como Sherlock, mas quando nos deparamos com seu fator humano em relação as pessoas à sua volta e a sua sexualidade Benedict sobe o patamar atuando lindamente e mostrando toda a complexidade do personagem. 

Um filme histórico e biográfico que realmente retrata a participação de um personagem extremamente importante para a história que devido aos fatos por muito tempo não pode levar os créditos que lhe eram merecidos.  A visão deste novo ângulo em relação a uma guerra, a parte intelectual, a corrida para conseguir quebrar os códigos e se infiltrar nos planos inimigos mostrou que tem tanta força e importância como qualquer outro serviço, e que como eles guardam segredos e tomam decisões importantes para o rumo de todos. 

Com esse filme finalizei a categoria de Melhor Filme e assumo que tenho o coração repartido sobre qual eu gostaria que ganhasse, não tem apenas um filme preferido, mas gostei muito de O Jogo da Imitação. 






Título original: The Imitation GameDuração: 115 min.
Direção: Morten Tyldum
Roteiro: Graham Moore 
Elenco:  Benedict Cumberbatch, Keira Knightley, Matthew Goode, Mark Strong, Charles Dance, Allen Leech, Matthew Beard, Rory Kinnear
Distribuidora: Diamond Filmes
Ano: 2015
Avaliação: 4,5/5

2 comentários:

  1. Jogo da Imitação é um filme que gostaria de ver. Normalmente filmes que retratam um pouco desta época tão triste eu gosto.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha Rose quando tiver uma oportunidade veja sim, vale a pena :)

      Excluir