12 de fevereiro de 2015

[Maratona Oscar 2015] A Teoria de Tudo


Sinopse: Baseado na biografia de Stephen Hawking, o filme mostra como o jovem astrofísico (Eddie Redmayne) fez descobertas importantes sobre o tempo, além de retratar o seu romance com a aluna de Cambridge Jane Wide (Felicity Jones) e a descoberta de uma doença motora degenerativa quando tinha apenas 21 anos (Fonte: Adorocinema) 

Comentários:
O filme A Teoria de Tudo traz uma biografia de Stephen Hawking, um astrofísico famoso que viu sua vida mudar ao descobrir que possuía uma doença degenerativa, mas  não permitiu que isso mudasse seus planos de descobrir a teoria sobre tempo. E foi com esse filme emocionante na medida certa que dei sequência na maratona Oscar 2015.




Esse era um dos filmes que eu mais estava esperando para poder assistir, tanto pela larga divulgação quanto pelos trailers divulgados, e apesar de não conhecer muito sobre Stephen Hawking a vontade de ver uma história de superação real me deixou curiosa.

O filme já começa com Stephen na faculdade, enquanto está no programa de doutorado em física e em plena ascensão em suas pesquisas, neste momento ele conhece Jane Wide, uma garota estudante de literatura e religiosa, e apesar de todas as diferenças entre eles os dois acabam se apaixonando e quando tudo parecia ir bem Stephen descobre que possui uma doença degenerativa grave que o deixará com uma expectativa de vida de apenas dois anos.

Contra todas as expectativas ele supera seus limites, a doença o afeta profundamente, ele vai perdendo seus movimentos, fala, respiração, mas não seu cérebro, e por isso ele continua pesquisando, descobrindo coisas e continua brilhante.

Assumo que quando soube desse filme achei que o foco seria maior nas pesquisas e estudos de Stephen Hawking, mas ao ver os primeiros trailers logo percebi que o tom seria outro, o que se concretizou foi um filme focado bem mais na vida pessoal e Stephen com Jane, como ela decidiu que não se importava com a doença enquanto eles ficassem juntos e ao perceber que sua rotina seria mais difícil do que era esperado ao ver a degradação física de seu marido, como os dois lidaram com as situações e a história do casal prevaleceu a história da ciência.

Gostei muito do tom empregado, tendo um foco mais pessoal o filme poderia muito bem pender para um drama sem fim e desnecessário, porém não foi isso o que aconteceu, ele é regado a sutis insinuações sobre alguns acontecimentos sendo pautado na rotina dos dois e na superação de Stephen que poderia ter desistindo de tudo mas não o fez.

Outro ponto muito bom desse filme é o trabalho dos atores, em especial e com menção honrosa a Eddie Redmayne, que interpretou Stephen, naturalmente um papel naturalmente complicado foi brilhantemente interpretado mesmo com todas as dificuldades físicas, principalmente perto do fim quando o autor contava apenas com expressões faciais para poder interpretar e era realmente possível entender o que era passado.


Um filme para conhecer mais sobre a vida pessoal de Stephen Hawking (e aqui vou enfocar o pessoal, afinal não há um aprofundamento sobre seus estudos, teorias e vida acadêmica) e que mostra como limites podem e devem ser superados.



Título original: The Theory of Everything
Duração: 123 min.
Direção: James Marsh
Roteiro: Anthony McCarten
Elenco: Eddie Redmayne, Felicity Jones, Charlie Cox, Emily Watson, David Thewlis, Simon McBurney, Charlotte Hope, Harry Lloyd
Distribuidora: Universal
Ano: 2015
Avaliação: 4/5

2 comentários:

  1. Oi Dani, sabe que eu fiquei mais interessada no filme do que no livro propriamente dito?
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir